Com a transformação do mundo vem a transformação na forma de selecionar os melhores talentos para sua empresa. Por isso, vamos apresentar aqui algumas das principais tendências globais de recrutamento que você deve estar atento em 2020.

Antes de mais nada, o departamento de RH vem sendo criticado por ser um dos setores mais lentos em resposta às mudanças que acontecem no mundo do trabalho. Isso se deve ao fato de a própria formação desses profissionais ainda serem da mesma forma que se fazia há 20 anos atrás. 

Contudo, através de diversas iniciativas observadas no mundo todo, isso tende a mudar. E é sobre isso que viemos falar neste conteúdo. Vale a pena acompanhar e ficar por dentro dos dados que estão representado o Recrutamento & Seleção globalmente.

D.E.I: Diversidade, Equidade e Inclusão devem ser o lema dos times de recrutamento

Temos observado diversos movimentos ao redor do mundo em favor de minorias.

Negros, mulheres, LGBT+ e tantas outras minorias que por anos a fio passaram por discriminações e com difícil acesso a posições no mercado de trabalho agora recebem um “zoom” de atenção de todas as partes.

Em um mundo conectado, a diversidade se tornou branding. A empresa que não possui um programa de diversidade, equidade e inclusão dificilmente atrai os melhores talentos.

Entrevistas sem o Entrevistador

Outra tendência que parece ter chegado para ficar são as entrevistas por vídeo com mapeamento facial.

Essa polêmica transformação foi impulsionada durante os tempos de pandemia e mostrou o poder da escala em entrevistas para Business Partners e executivos da área de Pessoas.

Por isso, será cada vez mais comum que as entrevistas sejam realizadas sem um entrevistador, por vídeo, com o auxílio de inteligência artificial para mapeamento facial e triagem de candidatos.

Será que essa moda pega?

Dados: o SuperPoder do RH do futuro

Além de inteligência artificial para apoiar a seleção de candidatos, muitas empresas têm se beneficiado do acesso a grandes volumes de dados, usando técnicas de manipulação desses dados, conhecido como Big Data, para determinar o próximo contratado.

Pesquisas mostraram que os executivos de RH estão cada vez mais propensos a utilizar os dados no recrutamento e na seleção do candidato perfeito.

Por isso, cada vez mais devemos ficar de olho em nossas redes sociais e em nossa presença online. Isso pode afetar diretamente no seu processo seletivo.

O fim do headhunter

Ainda mais polêmico, é o fim dos profissionais de recrutamento sob demanda, os conhecidos headhunters.

Com o crescente acesso a bancos de talentos compartilhados e com o aumento da utilização de inteligência artificial para seleção de proponentes, o headhunter pode ter seus dias contados.

Os profissionais que atuam nessa área terão de pensar em como atuar de forma mais estratégica em áreas mais sensíveis ao acesso de robôs e tecnologia, como na contratação de executivos de alto escalão.

A ideia de que os headhunters poderão não existir geram discussões por toda parte sobre a ética. Porém, o fato é que isso já está acontecendo e o que nos restará será sempre nos adaptar.

Gostou dessas tendências? Você é contra alguma? Não esqueça de compartilhar esse artigo com seus colegas para enriquecer a discussão.